O Surf e o respeito – por Augusto Salazar

 
No mar somos capaz de perder a referência de quem somos de verdade, uma disputa de onda pode nos tornar seres estranhos até a nós mesmos. Quantas vezes, enquanto remamos para o outside de cabeça feita com a última onda, vemos dois ou três quase se debatendo para descer a onda da série? Quando nos colocamos de fora podemos ter essa visão mais ampla e com um pouco de consciência podemos nos colocar no lugar de quem observamos.
 

Respeito e paciência são grandes virtudes. No mar muitas vezes estamos envoltos por dezenas de pessoas que como nós aguardam a série entrar. Somos Um e ao mesmo tempo temos que ser o Todo se quisermos estar em equilíbrio e sinergia com o mar, assim sempre estaremos bem posicionados e não haverá necessidade de disputar na remada uma onda. Essa busca pela sutileza nessa intensidade que é o surf, pode ser comparado com o tão almejado caminho do meio para os budistas.
 

Esse discernimento não pode ser visto em todos, mesmo porque, entre uma série e outra, podemos observar que muitos estão se adaptando ainda a esse universo do surf, e não tem a noção de posicionamento e mesmo respeito com as “normas” estabelecidas pela maioria. E sim, os que sabem e conhecem devem ajudar e auxiliar para que possamos manter um clima leve e de respeito no mar.
 

Todos que surfam amam o mar e tem muito respeito pela natureza. Abrir mão de uma disputa de onda em respeito ao próximo e ao seu melhor posicionamento deixa claro a intenção de manter o outside um lugar mais calmo e de alegria, afinal é o que todos que estão ali buscam, aproveitar o mar e a natureza em paz, esperando que os demais estejam na mesma vibração.
 

Para muitos, lidar com essa situação não é fácil. O localismo muitas vezes fala mais alto. Mas o respeito, creio eu, seja um sentimento muito maior que o fato de alguém se sentir melhor e dono de algo que não pertence a ninguém e ao mesmo tempo, pertence a todo mundo. Temos que deixar de lado o sentimento de posse e ter coragem de aceitar que no surf e em todas as áreas em que estamos atuando somos todos iguais.
 

Ser um agente ativo nesse discernimento entre as escolhas que fazemos no Surf, pelo simples fato de querer ver bem o próximo, e ter coragem de agir nessa direção, é o respeito que esperamos encontrar no mar. É o mais puro sentimento de amor ao universo do surf.
 
Que o respeito e o surf prevaleçam
 
Por Augusto Salazar.